quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Sonhos Que Eu Tenho

Já comentei aqui neste blog que tenho sonhos bizarros. Muitos sonhos. Muito bizarros. 
Desde minha mais remota lembrança tenho estes sonhos. Para mim eles sempre foram muito normais e eu achava que todos tinham sonhos como os meus - até eu começar a contar para as pessoas e elas fazerem cara de "Céus, você é louca". 

Na adolescência, talvez devido aos hormônios, a freqüência e o nível de bizarrice dos sonhos aumentaram muito. Somente após os 19 eles começaram a ocorrer com menos freqüência - ou eu passei a lembrar menos deles.

Houve uma época em que tentei interpretá-los. Quer dizer, alguns sonhos que tenho são facilmente explicáveis - foram causados por algo que vi, falei ou pensei durante o dia. Já outros, por mais que terapeutas possam tentar interpretar, simplesmente não significam nada. A não ser que eu tenho uma imaginação bastante fértil.

Mas há uma espécie de padrão nos meus sonhos. A maioria deles podem ser enquadrados em algumas categorias. São elas:

- Cidade dos Sonhos: Há uma cidade que freqüentemente visito durante os sonhos. Comecei a sonhar com ela por volta dos 15 anos de idade, e no começo era uma cidadezinha de interior, com uma pracinha simpática e coreto no centro. Com o tempo ela foi aumentando - não me perguntem como, mas eu sempre sei quando estou nesta cidade, e também sei que é a mesma cidade desde a primeira vez -, ganhando prédios, lojas, prefeitura, shopping centers, metrô. Uma das regiões desta cidade tem verdadeiros arranhacéus de centenas de andares, com elevadores que andam em todas as direções. Com grande freqüência eu visito o topo destes arranhacéus e observo - com uma certa vertigem mas sem muito medo - a cidade lá de cima. Há também nesta Minha Cidade muitas igrejas, que são o próximo tópico.

- Igrejas e Sinagogas: Não sou religiosa. Oficialmente me considero agnóstica, mas confesso que tenho lá minhas crençazinhas aqui e ali. Não vem ao caso. Mas o fato é que já tive e ainda tenho muitos sonhos passados em igrejas e sinagogas. Todos eles são envolvidos por uma aura extremamente religiosa - quase medieval. Já sonhei, por exemplo, que eu era um homem entrando numa igreja, chorando porque havia perdido toda a família. Esse homem - eu - olhava para o Cristo pendurado no altar e, gritando algo em russo, tirava um punhal do bolso e o enfiava na própria barriga. Em outro sonho eu chorava copiosamente em uma sinagoga porque queria o direito de entrar na área reservada para os judeus de nascença, até que um rabino de barba longa me entregou algumas escrituras que eu deveria ler antes de poder entrar ali. Em outro, ainda - que por acaso foi o primeiro sonho que me lembro na Minha Cidade -, eu procurava por uma igreja ortodoxa. Ao encontrá-la eu precisava urgentemente entrar nela, mas vi que ela estava em reforma. Havia anjos assustadores em sua fachada.

- Shopping Centers: Menos macabros do que os do tópico anterior, os sonhos com shopping centers têm se tornado mais freqüentes nos últimos anos. São sonhos em geral chatos, porque entram em um ciclo que nunca termina. No último que tive com este tema eu tinha que sair do shopping após seu fechamento, e a única forma era através de um tobogã no qual eu tinha que prestar muita atenção para fazer a curva no lugar certo ou voltaria para dentro do shopping. Não preciso dizer que esqueci de fazer esta curva MUITAS vezes, até enjoar do sonho e acabar acordando.

- Praias, Piscinas e Lagoas: Estes são sonhos que eu realmente precisaria filmar para poder explicar. Na parte de piscinas e lagoas em geral eu também vôo - o que acontece quando eu pulo muito alto e demoro para voltar ao chão. Já as praias são verdadeiras obras surrealistas. São sonhos bastante claros e cheios de cores vibrantes, todos os desta categoria. O mar muda muito de forma - em uma das vezes ele era cerca de 1,5m mais alto do que a areia e ficava como que "pendurado" no ar, como se houvesse uma barreira invisível segurando-o. As piscinas em geral têm chafarizes e animais - como uma vez, em que o tubarão que habitava uma delas virava um leão quando saía da água. Já as lagoas são sonhos com natureza, geralmente com uma cachoeira e trilhas na montanha. Só em sonho, mesmo...

- Mudar de Casa: Já mudei muitas vezes. Contando nos dedos não cabe em uma mão todas as mudanças que já fiz na minha vida. Mas se eu for contar aí também as mudanças que já fiz em sonhos, não sobra dedos para contar história - nem se eu usasse os de todos vocês juntos. Estes sonhos se passam em casas ou apartamentos que são verdadeiros paraísos. São em geral sonhos muito agradáveis, mas que me deixam um pouquinho triste quando acordo e percebo que não era verdade. Confesso que estes sonhos talvez representem minha inquietação ao morar muito tempo em um lugar só.

- Viajar: Estes são os sonhos em que eu mais digo a frase "E desta vez não é sonho, é de verdade!". Não precisa nem dizer quão decepcionada fico quando acordo, não é? Já viajei para o Egito, para Paris, Londres, Madrid, Tóquio, Pequim, Sidney... Tantas cidades e países que já conheci em sonhos que não saberia citar todas. Em vários destes sonhos eu choro de emoção ao perceber que "realmente" estou no tal lugar. Sonhos deliciosos, mas que invariavelmente me deixam triste quando acordo.

- Dorgas, Manolo!: Estes são aqueles sem pé nem cabeça. Um dos mais célebres foi quando fui expulsa de um avião em pleno vôo e decidi voar atrás dele para me vingar. O céu estava vermelho e eu voava com os braços abertos, como um avião. O avião, por sua vez, fugia de mim e volta e meia "olhava" - imaginem algo como Jay-Jay, o Jatinho - para trás para ver se eu ainda estava atrás dele. Bem que uma amiga dizia que na nossa turma "o mais normal corre atrás de avião". Faz sentido.

Tenho ainda várias outras categorias que poderia colocar aqui, mas deixo para contar sobre elas quando tiver sonhos fresquinhos - ou me lembrar de algum antigo - para relatar. Por enquanto deixo vocês só com uma idéia de o que se passa na minha cabeça enquanto estou dormindo.

E vocês? Que tipo de sonhos costumam ter?

7 comentários:

Caranguejo Excêntrico disse...

Ah, eu adoro esses sonhos. A época mais produtiva do meu subconsciente também foi na adolescência. Também foi a minha fase mais criativa.
Será que dá pra ter isso de volta, mas sem o ultra-romantismo típico dessa idade?
:P

Felipe Mappa disse...

a do avião foi boa, hein? eu SEMPRE tive sonhos loucos. me recordo pouco dos detalhes, mas sonhos bizarros sempre fizeram parte da minha vida. nessa minha fase quase balzaquiana, devaneios rycos - muitos dinheiros, muito consumismo, muito luxo. pq uma bela garrafa de perrier jouët e passeios de iate em ibiza me trazem felicidade, ainda que em sonho.

Erik Scott disse...

Nussa, gostei... esses sonhos são realmente de, engraçados a bizarros.
Acho que prefiro mais os que posso voar... nussa muito bom viu!
Uma dúvida, no sonho que se esfaqueia o que acontece depois?
Nunca consegui morrer no sonho... uffffss

Tati Leutwiler disse...

Depois que eu me esfaqueei na barriga o sonho mudou e eu virei uma mulher de vestido branco sujo que tinha se esfaqueado no joelho e tinha que fugir de uma catacumba por um túnel bem baixinho. Foi uma sensação tão real que quando acordei passei a mão no joelho para ter certeza de que não estava sangrando.

Felipe, achei teus sonhos digníssimos, mon amour! Rola um relato mais descritivo?

Tatah Lopes disse...

HAUHAHAUHAUHAU
Tati e seus sonhos criativos! É impressionante a riqueza de detalhes que você consegue recordar! São raros os sonhos que eu lembro... Ultimamente tenho sonhado que achava dinheiro. Maletas, cofres e carteiras.... Podia sair comprando tudo... Acordava frustrada... Já sonhei que estava na aula, o que era um tédio. Já sonhei que estava em posição comprometedora com conhecidos, o que era embaraçoso e eu ficava dias sem olhar para a pessoa. A maioria dos sonhos que eu me recordo envolvem fandom e muito porn... O que é embaraçoso e frustrante. :/
Tenho MILHÕES de ideias para fanfictions, mas tenho preguiça e receio de escrever... Preciso exercitar mais a minha memória... Quem sabe hoje não sonho com aviões, não?

Tati Leutwiler disse...

Também sonho muito que estou achando dinheiro na rua ou que encontrei uma loja que tem tudo o que eu queria por um preço baratinho (sonho de pobre é fogo...).

E páre de ter receio de escrever, quero ler uma fic sua!

Mariana Teles disse...

Nossa, Tati, animal esse post.

Eu sempre fui de sonhar muito e até hoje tenho lembranças de sonhos da infância, tempos muito remotos MESMO.
Tinha uma época que eu tinha um sonho-novela com uma cidade subterrânea que encontrava ao abrir a porta da escada de incêndio com um "tranco especial". Era só dar uma empurradinha diferente e se abria um mundo incrível para mim, um gramado verde, uma loja de marionetes, um céu sempre escuro. Eu queria dormir o dia inteiro, era só deitar que o mesmo sonho continuava... foi uma das melhores fases da minha vida..
Não sei se parar um pouco de sonhar tem a ver com a idade, com o meu cansaço, com sei lá o que, mas, infelizmente (ou felizmente) meu ritmo diminuiu um pouco.
Até hoje meus sonhos são tão nítidos, com tantos detalhes, que meu namorado fica absolutamente passado quando eu conto.
A melhor parte são os moods e as cores que a minha cabeça inventa....

Enfim, ótimo post.
Se "inception" fosse verdade, certeza que eu daria um pulinho num sonho seu!